segunda-feira, 19 de março de 2012

O caminho e o caminhar



Respostando do blog antigo, texto "velho" mas nem por isso empoeirado ;-)

Boa Leitura!



O que acontece no paganismo, onde alguns usam do pouco que sabem para tirar algum proveito e explorar aqueles que buscam de coração sincero por um caminho ou filosofia que melhor satisfaça os anseios da alma, leva a questionar os porquês de tantos desencontros e desencantos em uma busca que deveria conduzir a plenitude.
Há ovelhas e pastores, existem os buscadores e os facilitadores de buscas, há os que escutam e os que falam, os que tiram suas conclusões e os que esperam que os mestres dêem as conclusões a eles.
Quando o buscador questiona oque faz de sua vida e quando a primeira impressão que tem é que está vivendo um grande auto-engano, logo culpa a família, a religião e a sociedade pelas suas inquietações, entretanto alguns percebem que o tempo da infância passou e que agora é preciso assumir a direção em sua estrada, domar seus cavalos selvagens e guiar-se por um caminho mais consistente, e quando a força de sua dúvida é maior do que a fé cega em sua antiga crença, ele se lança em busca de novas respostas.
Aqueles que seguiam o rebanho, as ovelhas que agora se rebelam e querem se tornar lobos, deixam de ir junto ao pastor e passam a seguir ao líder da matilha.
Porém como sempre esteve habituado a receber tudo explicadinho, continua procurando alguém que lhe dê as novas respostas e é nessa hora que pode se tornar vítima daqueles que tiram proveito do pouco que sabem para ludibriar aqueles que querem saber mais, caindo no fluxo das correntezas que levam aqueles que não prestam atenção no fato de que tudo o que já escutou antes é o mesmo que está ouvindo agora em nova forma e com outras palavras, elaboradas para manter o engodo e favorecer uns em detrimento de outros.
O Lobo aprisionado [...]”
Muitos se perdem pelo caminho, isso acontece quando param de refletir e creem já ter encontrado aquilo que buscavam, todavia a luz que ilumina é a mesma que cega e alguns imaginando já ter chegado ao final da estrada, quando olham para trás e enxergam tantos outros em passos trôpegos como já foram os seus próprios, tornam-se tão enganados quanto enganadores, deixam de ser um caminhante para se tornar uma barreira no meio da estrada, um obstáculo a ser vencido pelo verdadeiro caminhante.
[...] Estando o lobo aprisionado na sala de espelhos e não suportando ver-se mil vezes refletido, num derradeiro uivo arranca com as patas a máscara e o escafandro que sempre portou. E por uma fração de segundos, a luz bruxuleante de sua alma candente permite que ele veja, em cada espelho-quantun do seu ser, o que nunca havia deixado de ser: [...]
O que se vê no paganismo é uma infinidade de informações e pessoas naufragando num mar de palavras, no qual poucos têm habilidade para nadar em direção de uma ilha onde poderão descansar, ou de um porto seguro de onde prosseguir sua caminhada com passos firmes e um solo forte sob os pés, e por achar em novos mestres a ilusão das respostas pelas quais procurava torna-se uno com o novo bando e despersonaliza-se novamente, então pára sua busca, fica novamente estacionado e muitas vezes só percebe que continua no mesmo ponto do qual partiu, quando já é tarde demais.
[...] Um simples cordeiro. [...]
Já o questionador escuta, pensa sobre o que ouviu e quando tem argúcia compreende o quanto continua estacionário sem se dirigir a rumo algum, contudo quando a força de sua coragem é maior do que seu desânimo perante os obstáculos, continua a busca a despeito dos tropeços, naturais nos primeiro passos em qualquer caminho desconhecido.
"[...] E enquanto a lei da Entropia se consumava, podia-se sentir as vibrações da Harpa Celestial e ouvir o coro de infinitas vozes a repetir por toda a eternidade: Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo dai-nos a paz.[...]
Algumas pessoas perguntam, outras querem dar respostas, no entanto, poucas são capazes de perceber as particularidades e individualidades de cada questão. Dentro de um caminho onde o sonho de uns pode ser o pesadelo de outros, aqueles que se aventuram em busca do conhecimento devem ter estrutura forte o suficiente para passar pelas agruras do com motivação crescente e prosseguir sabendo que ainda falta muito caminho a trilhar.
[...] E a hiena, então, sorriu.
Superado um dos primeiros grandes obstáculos, que é o de depositar sua esperança em outrem, o caminhante percebe que seu caminho pessoal é também individual e é dele mesmo, bem como que o único reservatório de forças para Si é em Si mesmo que encontrará. Assim já pode começar sua busca com segurança de estar verdadeiramente indo em alguma direção.

A atenção e cuidado com o caminhar, a partir desse momento em diante, evitará muitas quedas e trará grande experiência, o Peregrino deixará de olhar para o horizonte distante na trilha onde segue como se aquele ponto fosse a meta final, porque sabe que a cada passo que dá, o horizonte também se movimenta para mais longe e então aprenderá a contemplar as margens do caminho, as peculiaridades da estrada, subidas e descidas, descansos e encontros.

“Para mim só existe percorrer os caminhos que tenham coração, qualquer caminho que tenha coração, ali viajo e o único desafio que vale é atravessá-lo em toda a ma extensão. E por ali viajo olhando, olhando, arquejante.”

Enquanto prossegue percebe que cada caminho é diferente e desde o momento em que se decidiu e dedicou por este caminho, aquele outro que era uma opção antes de iniciar seu trajeto, ficou para trás, em outra parte, em outras montanhas e em outros vales. Não está sob seus pés, mas por não ter passado o tempo todo olhando para o inicio de diversas estradas tentando enxergar o mais longe possível em cada uma delas e sim ter iniciado um trajeto e seguido em frente, poderá falar com segurança sobre um caminho que terá trilhado e se tornado parte dele.

Refletindo sobre os lugares onde passou, o caminhante percebe que o propósito que move as pessoas em busca de respostas para suas indagações, as leva primeiro a revolta contra sua situação, depois a busca de uma situação nova, nessa busca muitas vezes elas não passam dos primeiros passos, algumas das que não prosseguem se arvoram em sábios e acabam sendo charlatães, outras desistem, outras pegam atalhos que conduzem de um caminho a outro e terminam por não conhecer nenhum, outras mais continuam perscrutando um horizonte que não percebem ser inatingível e na ilusão da chegada a uma sólida meta definida, perdem a fluidez que deveriam ganhar na caminhada e que poderia transportá-las além de limites incomensuráveis, ou até onde não há mais limites.

Sabendo que tudo o que passar, o que fizer, o que viver, valerá para si e ciente de que tudo o que contar e tudo que disser servirá apenas como recordação de seu caminho em estímulo a caminho no coração de outros Peregrinos e companheiros de jornada, o Buscador prossegue.


Nota 1: A pequena historia do “Lobo aprisionado” dividida seqüêncialmente em algumas citações do texto é de autoria de Fr. Aamon.

Nota 2: A citação do caminho com o coração consta no livro “A Erva do Diabo” de autoria de C. Castaneda, que atribui a frase a Don Juan Mathus